Professor nativo é melhor?

     Once again… Depende! O que você diria se eu lhe pedisse agora para explicar todos os usos da crase? Susto?! Não se você for professor de português, é claro!!!

   Desta forma, como se pode assumir que um falante nativo de qualquer idioma conheça todos os aspectos da língua e esteja apto, mesmo sem treinamento próprio, a lecionar a qualquer tempo? Difícil, não?!

   Há professores nativos bons assim como há professores brasileiros bons. A questão é qualificação e treinamento. Aposto que você não iria a um médico que não tivesse adquirido conhecimento formal da medicina, por mais que ele pareça entender disso. OK, ninguém vai enfrentar risco de morte por não ter aprendido da forma adequada, mas pode, muito bem, perder uma oportunidade de emprego…

A questão é saber se a pessoa recebeu informação suficiente para lidar com questões muito mais complexas do que conhecer somente o idioma e seu uso social. Trabalhar com aprendizagem implica conhecer como os outros aprendem, as teorias psicológicas que permeiam o ensino da língua estrangeira, os mitos relacionados ao ensino e aprendizagem de uma língua estrangeira e por aí vai…

Caso contrário, há o risco de passar ao aluno informações já ultrapassadas, desencontradas, que não fazem mais sentido na aprendizagem moderna ou, simplesmente, não saber o que fazer na sala de aula. Quer um exemplo?

 Há anos, uma pessoa contratou um professor nativo para aulas. O intuito era estar preparado para receber alguns visitantes e lidar com essas pessoas no período em que estivessem no país. No dia marcado, o professor apareceu com um texto sobre… beisebol. Imagino que essa pessoa teve boa intenção ao ser informado de que o aluno teria que lidar com alguns estrangeiros em um relacionamento social. Só que ele não sabia que beisebol não fazia parte do contexto em que o aluno estava inserido… Ele não era professor, nunca tinha lecionado, logo não sabia como proceder, apesar de ser falante nativo. Culpa dele?Não!!!

   Eu sequer tenho noção do que ocorre em uma área financeira, pois não tenho formação na área, nunca trabalhei com isso. Se tiver que instruir alguém, certamente farei bobagens, mesmo que tenha a melhor das intenções… Desta forma, concordo plenamente com aquele adesivo que sempre estão nos carros “Consulte sempre um advogado, médico, engenheiro, nutricionista, etc”. Afinal, esses profissionais sabem o que estão fazendo, uma vez que foram qualificados para isso. Não deveria ocorrer o mesmo com o professor de inglês, seja ele nativo ou não? Pense nisso antes de escolher com quem terá aulas!

   Por Marianne Rampaso

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*